USANDO A IMAGINAÇÃO…

Hoje assistimos ao espetáculo Capitão e a Sereia, da companhia Clowns de Shakespeare, de Natal. A linguagem desenvolvida pelo grupo realmente é um trabalho delicado e sensível. Confira também Sua Incelença Ricardo III, dirigida por Gabriel Villela, que virá para São Paulo no fim de julho, no Sesc Belenzinho.

A peça Capitão e a Sereia já tinha ficado em cartaz em São Paulo em 2009, quando estreou, e foi considerada o terceiro melhor espetáculo da temporada paulistana de 2009 pela Folha de São Paulo, além de ter ganho o Prêmio Shell 2009 de melhor figurino. Apesar disso, o grupo passa quase despercebido pela cidade quando deveria ter lotação cheia e fila para cadeiras extras! Nessa hora, estar em uma cidade grande, com tantas opções culturais, atrapalha.

CLOWNS DE SHAKESPEARE

Mas deixe-se guiar pela sua imaginação e vá vivenciar essa experiência. Eles ficam em cartaz até o dia 3 de junho (mais seis apresentações) e nesse sábado terá um bate-papo com o pessoal da SP Escola de Teatro sobre o processo criativo deles, às 13h. Se você for, pode ser que consiga um lugarzinho pra participar.

No projeto Figurinos Radicais, que aconteceu como parte da Quadrienal de Praga 2011, uma das condições para o traje participar era de que “tivesse sido habitado por um corpo ou um boneco”, se tivessem visto esse espetáculo antes, teriam exigido mais uma condição: que pudesse ser habitado por um “corpo imaginário”. Pois é o que acontece com o corpo que se materializa na nossa imaginação quando entra em cena o traje e o quepe do Capitão! Parabéns Wanda Sgarbi pelo belo trabalho. Tudo muito delicado e envolvente.

A música é um espetáculo à parte, dirigida por Marco França e com colaboração do músico pernambucano Helder Vasconcelos, pesquisador da manifestação cultural “Cavalo-Marinho”, nos embala e nos leva a “mares nunca d’antes navegados”.

Mas não vá esperando um espetáculo com começo, meio e fim. Muitos problemas acontecem e dá-lhe imaginação pra conseguir resolver. Mas isso vocês podem conferir pessoalmente, com a ajuda do César, da Camille, do Marco e da Renata!

O Capitão e a Sereia
Funarte SP
Alameda Northman, 1058
Quinta a Sábado, às 21h e Domingo, às 20h

3 Comentário(s)

Compartilhe


  • Cara Rosane,

    Te conheço só pelo Vestindo os Nus, que comprei na época do lançamento e considero uma publicação de rara importância para a bibliografia disponível para teatro no país.

    Pena que você não se apresentou, pois eu teria enorme prazer em conhecê-la. Ainda assim, fico muito feliz que você tenha ido e mais feliz ainda em ler tuas palavras tão sensíveis!

    Até julho/agosto no Belenzinho!

    Abraços,

    Fernando

    • Querido Fernando,

      obrigada pelo elogio ao livro. Foi o registro do início de minha pesquisa e paixão pela indumentária cênica, com a qual convivia há algum tempo no teatro, mas sem olhos específicos…

      Realmente teria sido um prazer lhe conhecer pessoalmente. Também não falei com o César, com quem conversei tanto por e-mail quando na pesquisa e documentação do material para a Quadrienal de Praga. Pra falar a verdade, não costumo falar com o elenco depois dos espetáculos. Gosto de sair quietinha, envolvida pelo que vi… Foi muito bom poder ter ficado ali, observando os desenhos originais que inspiraram a montagem e formar / relacionar ideias com as que eu tinha criado na minha imaginação durante o espetáculo.

      Nos veremos com certeza no Belenzinho, mas confesso que ainda tentarei voltar e ver de novo o Capitão.
      Abraços e parabéns!,

      Rosane

  • E agora, já tendo gozado dos benefícios de sair a francesa, favor identificar-se logo na recepção! Rs.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *