O CARNAVAL DE ROSA MAGALHÃES

Em 2009, a OISTATBr divulgou o evento World Stage Design que aconteceria na Coréia. Já falamos bastante do evento (que aconteceu em setembro de 2009) aqui no vestindoacena e trouxemos curtos bate-papos com alguns dos brasileiros selecionados. Agora, que o livro do evento já chegou ao Brasil, continuaremos publicando e registrando aqui estas conversas com os participantes.

Mas antes, inclusive deixando um pouquinho de lado o teatro (com vários trabalhos interessantíssimos em cartaz para comentar) e também o cinema (com a corrida para o Oscar), vamos tratar, por dez dias, do Carnaval!

Começamos falando do trabalho de Rosa Magalhães, que foi um dos escolhidos para a mostra internacional na Coréia. O trabalho inscrito foi sua criação para o desfile da Imperatriz Leopoldinense (escola de samba carioca), em 2005, que teve como tema o dinamarquês Hans Christian Andersen. Inclusive, fui convidada a palestrar na cidade americana de Iowa, em julho de 2009, sobre o carnaval brasileiro. A professora Loyce Arthur com o grupo de pesquisa sobre Carnaval caribenho, queria ampliar as investigações sobre o Carnaval brasileiro e de outras partes do mundo. Foi definido o tema University of Iowa’s Caribbean Diaspora & Atlantic Studies Program, no qual poderemos vir a ajudar futuramente. Loyce passou o Carnaval 2009 no Rio de Janeiro e entrevistou Rosa Magalhães, da qual recebeu de presente um lindo livro com esse trabalho sobre Andersen do qual ela fala abaixo para o vestindoacena:

 ROSA MAGALHAES-Imperatriz 2005 - Baillerina

 

Como você ficou sabendo do World Stage Design?

Através da Doris Rollemberg e da Alessandra Cadore. Disseram que me inscrevesse. Mas o computador ainda tem segredos que não consigo desvendar e a Alessandra Cadore formatou e mandou os trabalhos. E aí fui aceita.

 ROSA MAGALHAES-Imperatriz 2005 - Prominent Fancy Costume

 Qual o critério que adotaram para a escolha do trabalho a ser apresentado?

Entrei na categoria de espetáculo com grande formato. Estava muito ocupada fazendo uma ópera e não pude separar o material dos jogos pan-americanos. Então, mandei só o carnaval de 2005, porque já tinha mais fotos.

 ROSA MAGALHAES-Imperatriz 2005 - The Tin Soldier

 Como você vê a importância do reflexo deste seu trabalho no exterior?
Participei da Quadrienal de Praga e da Bienal de Veneza. São mostras para um público específico. O espetáculo do Carnaval é visto pelo mundo inteiro, pois é a terceira audiência mundial, só perdendo para a abertura das Olimpíadas e a abertura dos jogos pan-americanos. Então, por mais de 20 anos, o meu trabalho é visto por aí afora. O importante é ser selecionada para uma exposição com uma visão de espetáculo teatral. Fico muito satisfeita com esta colocação.

 ROSA MAGALHAES-Imperatriz 2005 - Battery

Escola: Grêmio Recreativo Escola de Samba Imperatriz Leopoldinense
Ano: 2005
Enredo: Uma Delirante Confusão Fabulística
Carnavalesca: Rosa Magalhães
Colocação: Quarto lugar

ROSA MAGALHAES-Imperatriz 2005 - Fleur-de-Liz Aisle Birds Sell

O enredo foi uma homenagem aos 200 anos de nascimento do autor de histórias infantis Hans Christian Andersen. O abre-alas, o carro Era uma Vez, trazia a imagem do escritor e era ao mesmo tempo uma réplica de um pequeno teatro, de onde a corte do Reino de Fadas saía e evoluía. Outro carro que impressionou pelo preciosismo na confecção foi o Rouxinol do Imperador, sobre a história de mesmo nome. Cerca de 200 réplicas de porcelana chinesa feitas de isopor e papel decoravam a alegoria. A alegoria Quarto de Brinquedos também foi grata surpresa na avenida. Dois carros interligados traziam bailarinas e soldadinhos de chumbo em coreografias que simulavam movimentos de brinquedos de corda. Por fim, uma homenagem ao escritor brasileiro Monteiro Lobato com alas e um carro sobre o Sítio do Picapau Amarelo. A comissão de frente foi formada por 15 bailarinos vestidos de cisnes.

Leia também texto de Rosa Magalhães (Mais Vale um Jegue que me Carregue que um Camelo que me Derrube, lá no Ceará…, sobre o processo de criação desenvolvido para a escola de samba carioca Imperatriz Leopoldinense, em 1995) no livro Textos de Culturas e Artes Populares (v.6 / outubro/2009), do Instituto de Artes da UERJ, e disponível para download no link da TECAP.

 ROSA MAGALHAES-Imperatriz 2005 - Baiana

 

E não deixe de ler, a partir de amanhã, os posts sobre o Carnaval de Rosa Magalhães para a União da Ilha do Governador, sobre Don Quixote de La Mancha, que o vestindoacena está acompanhando bem, bem de perto, de dentro da ala das baianas!

2 Comentário(s)

Compartilhe


  • Rosane,

    Entrevistei a Doris Rollemberg via e-mail graças a você para o curso de graduação da ECA com o prof. Fausto Viana. Está no blog http://cenografiausp.wordpress.com/. Ela foi uma fofa!

  • Preciso de um contato com a Carnavalesca Rosa Magalhães,
    Sou presidente de uma Escola de Samba do Interior de São Paulo e gostariamos de prestar uma homenagem a Rosa no carnaval 2011, algem por favor respondaaaaaaaaaaaaaaa!
    obrigado

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *