Leituras

Luciana Buarque

Inspirações de Luciana Buarque: Adriana Varejão

Mais uma vez temos a alegria de receber as inspirações e referências artísticas de Luciana Buarque. Nossa equipe, como sempre, acrescenta informações sobre o que ela nos traz. Boa leitura!

Adriana Varejão

(por Luciana Buarque)

O trabalho artístico de Adriana Varejão transita com maestria entre o belo e o feio, o sublime o grotesco, como fazia brilhantemente Goya.

Adriana Varejão - Obra (16)

Tecnicamente ela viaja no tempo. Utiliza-se desde a pintura a óleo – ferramenta milenar – mas com tanta intensidade e quantidade de tinta que cria volumes e fissuras, extrapolando o quadro, desabrochando em três dimensões e utilizando recursos artísticos contemporâneos, como colagens e instalações.

Ariana Varejão - Obra

Sua temática também abrange um largo período da história. Ela tanto se inspira em alegorias do passado como do presente, sem perder de vista uma abordagem peculiar sobre o futuro. Sua obra relata desde a delicadeza da azulejaria barroca à crueza do açougue de uma esquina do século XXI.

Adriana Varejão - Obra (11)

Apreciar suas obras é se permitir sentimentos surpreendentes e desconcertantes causados pela complexidade e resultado plástico belíssimo de sua arte.

 Biografia

(por Vestindo a Cena)

A artista plástica Adriana Varejão começou sua carreira nos anos 1980, após frequentar cursos livres na Escola de Artes Visuais do Parque Lage, no Rio de Janeiro, sua cidade natal. Sua primeira exposição individual aconteceu em 1988, na galeria Thomas Cohn.

Adriana ganhou visibilidade nacional e internacional investigando a utilização do corpo humano, com obras viscerais, mostrando telas que reproduziam a carne como elemento estético, como peles rasgadas, interiores à mostra e canibalismo. Agora, a artista está trilhando novos caminhos reproduzindo elementos históricos e culturais, com temas ligados à colonização, à azulejaria e ao barroco, que adquire forte contemporaneidade em decorrência do acúmulo excessivo de materiais, camadas de tinta e informações.

Adriana Varejão - Obra (17)

Em Abril de 2014 a artista lançou o livro Pérola Imperfeita: A história e as histórias na obra de Adriana Varejão.  O livro foi escrito a quatro mãos juntamente com a historiadora e antropóloga Lilia Moritz Schwarcz, nele texto e imagem disputam o mesmo espaço, aprofundando a reflexão sobre as relações entre a história e a arte. No livro Lilia percorre os caminhos de pesquisa e construção da obra de Adriana, tecendo um diálogo entre a releitura da história por parte da artista e as várias possibilidades narrativas enredadas nesse processo criativo, passando pela colonização europeia na América, a reconfiguração da tradicional azulejaria portuguesa, a miscigenação e o contato direto com a cultura Yanomami, entre muitos outros caminhos.

perola-imperfeita_capa-frente

Destacam-se também as participações de Adriana Varejão na Bienal de São Paulo, em 1994 e 1998; nas Bienais de Havana (1994), Johannesburgo (1995) e Liverpool (1999). Também foi uma das figuras centrais da Bienal de Sydney (2000), além das mostras coletivas UltraBaroque (EUA, 2000-2002), TransCulture (Veneza; Tokio, 1995), New Histories (ICA, Boston, 1996), Mapping (MoMA-NY, 1994).

Adriana Varejão - Obra (3)

Suas obras estão nos principais museus do mundo e tem alcançado recordes de preço em casas de leilão de Londres e Nova York. No Brasil, Adriana ganhou um pavilhão dedicado a seu trabalho no Instituto Inhotim, em Minas Gerais.

Adriana Varejão - Obra (12)

 

 

 

Nenhum comentário

Compartilhe


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *